Glossário

  • CABARETIER
    Aquele que anuncia o espetáculo; mestre de pista; apresentador.
  • CAMA DE PREGOS

    Superfície plana de madeira coberta por muitos pregos com as pontas viradas para cima, sobre a qual o faquir se deita.

  • CAMA ELÁSTICA

    Aparelho com superfície emborrachada e tensionada nas extremidades de uma armação de ferro, sobre a qual o artista toma impulso para dar saltos e cambalhotas.

  • CAMAROTE

    Setor reservado de cadeiras próximas ao picadeiro.

  • CAMBALHOTA

    Movimento considerado pré-requisito para realizar acrobacias de solo e aéreas. Consiste em uma volta que o artista dá com o corpo no solo apoiando as mãos; cambota; cambotinha.

  • CANHÃO

    Aparelho metálico tubular de propulsão utilizado em número de homem-bala, no qual o artista é ejetado em cena.

  • CAPATAZ

    Encarregado por toda a rotina de instalação do circo desde a montagem e desmontagem da lona, aparelhos e equipamentos.

  • CARTAZ

    Anúncio de grandes dimensões que mostra cenas do espetáculo e é afixado em vários pontos da cidade para divulgar a chegada do circo.

  • CARTOMAGIA

    Número de magia realizado com cartas.

  • CARTOMÁGICO

    Artista dotado de habilidade com as mãos que realiza truques com cartas de baralho; prestidigitador.

  • CESTO

    Estrutura circular feita de ripas de madeira dentro da qual o ciclista acrobático pedala uma bicicleta enquanto o cesto sobe e desce lentamente.

  • CHAMBRIÉRE
    Chicote longo usado por domadores em apresentações equestres e com feras.
  • CHARANGA

    Banda ou pequena orquestra desafinada formada por instrumentos de sopro ou percussão.

  • CHARIVARI

    Entrada de acrobatas e palhaços no final do espetáculo.

  • CHICOTE

    Acidente aéreo que ocorre quando os trapezistas colidem ao perderem o timing do número.

  • CICLISTA ACROBÁTICO

    Artista que executa acrobacias sobre bicicleta ou monociclo.

  • CIRCENSE
    Relativo ao universo do circo; o artista de circo; cirqueiro (gíria).
  • CIRCO
    Espaço circular desmontável e coberto com lona, com pista central (picadeiro) dentro da qual os artistas itinerantes realizam exibições. Elas podem ser força, equilíbrio e agilidade física, no solo, em números aéreos, números de equilíbrio, e, até pouco tempo, com animais e feras.
  • CIRCO AMERICANO

    Estrutura de sustentação que substituiu o circo de pau fincado ao ser armado com estaqueamento apoiado no solo e em seguida tensionado.

  • CIRCO CONTEMPORÂNEO
    Denominação que surge na década de 1970 na Europa e posteriormente no Brasil, para identificar novos artistas, a maioria egressos das escolas de circo. Em seus espetáculos apresentam uma releitura dos números do picadeiro a partir de um enredo; circo novo.
  • CIRCO DE CAVALINHOS

    Denominação dada aos circos nos séculos XIX e início do século XX que exibiam números equestres.

  • CIRCO DE TOURADA

    Circo com pano de roda e sem cobertura para apresentação de acrobacias em cima de touros e de outros animais; circo de toureada.

  • CIRCO TRADICIONAL

    Circo de tradição familiar com várias gerações convivendo juntas, onde os artistas nascem, crescem, vivem, estudam, trabalham, se casam e criam seus descendentes, dando origem a dinastias de artistas que se apresentam em números de variedades, números com animais (antes da pribição destes no picadeiro) e como atores em circo-teatro.

  • CIRCO-TEATRO

    Circo com palco e picadeiro, para apresentação de comédias, dramas e duplas caipiras.

  • CLAQUE

    Tapas e bofetões que os palhaços dão e levam em cena e produzem um som semelhante ao das palmas.

  • CLAVA
    Objeto em forma de garrafa, confeccionado em plástico ou madeira, equilibrado no ar em grupo de três ou mais em exibições de malabarismo; clave.
  • CLONETE

    Mulher que se apresenta fazendo o papel de clown; clonisa.

  • CLOSE-UP

    Truque de magia realizado com cédulas, cigarros, moedas e outros objetos perto do espectador.

  • CLOWN

    Palhaço de cara branca, que veste roupa bordada de lantejoulas, usa um chapeuzinho em forma de cone e tem modos educados. é o palhaço inteligente que contracena com o excêntrico, com a função de ludibriá-lo; branco; clown branco; clom (gíria).

  • COMÉDIA
    Peça cômica.
  • CÔMICO

    Artista versátil que domina a cena fazendo graças, contando piadas e provocando a plateia.

  • CONTORÇÃO
    Ato de torcer o corpo em posições incomuns.
  • CONTORCIONISTA
    Artista que realiza torções com o corpo.
  • CORDA BAMBA

    Antigamente, corda sobre a qual acrobatas e funâmbulos caminhavam.

  • CORDA INDIANA
    Número aéreo, geralmente apresentado por uma jovem artista em uma corda encapada, presa perpendicularmente no alto da lona, na qual ela exibe força, flexibilidade e movimentos do balé clássico, enquanto a corda é girada pelo portô no solo; balé aéreo.
  • COXIA

    Espaço situado atrás da cortina do picadeiro ou do palco; bastidores.

  • COXIM
    Assento estofado inclinado, confeccionado em madeira ou ferro, no qual o artista apoia as costas enquanto faz malabarismo com os pés em números de tranca (objetos) e icários (pessoas).

 

Consultoria glossário: UBCI – União Brasileira de Circo Itinerante

 
Apoio
Incentivo

Realização